segunda-feira, junho 15, 2009

Passatempo com prémio

Rua Frei Amador Arrais
.
OS LEITORES são convidados, antes de mais, a irem ver as imagens deste mesmo local que estão afixadas em Costa e o Caos, [aqui], e em Prémios António Costa [aqui].
Depois disso, talvez estejam em condições de aceitar o desafio que consiste em responder correctamente à seguinte pergunta:
.
Como é que se explica que, nesta fotografia, não se veja um único carro (nem jipe, nem carrinha, nem camioneta...) em cima do passeio, nem a impedir o esvaziamento dos ecopontos, nem mesmo em segunda fila - situações essas que são o ex libris desta famigerada ilha de caos e impunidade?
.
O prémio, a atribuir ao 1.º leitor que der a resposta correcta, será um livro de acção policial - por associação de ideias com a bem conhecida inacção policial naquela zona.
.
Actualização: a resposta certa foi dada às 19h13m (e explicada às 19h25m), pelo que o passatempo terminou. Obrigado a todos/as!

33 comentários:

Joana Luz disse...

A fotografia foi tirada ao fim de semana.

João Rodrigues disse...

Porque os contentores estão "estacionados" no alcatrão, como se fossem um carro. Os condutores, ao estacionarem, limitaram-se a seguir os contentores.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Joana Luz,

Essa é uma parte, apenas, da resposta; neste mesmo blogue, tenho afixado fotos com o título «No reino do absurdo», que mostram o pandemónio que aqui vai - apesar de ser fim-de-semana, e a uma hora em que o estacionamento é gratuito.

Uma 'dica':

Embora MUITO indirectamente, a carrinha da Polícia Municipal, que se vê em 1.º plano, tem a ver com a resposta.

Carlos Medina Ribeiro disse...

João Rodrigues,

É preciso, de facto, ver as fotos deste local que estão nos 2 links indicados.

O habitual, é aquela zona ser um pandemónio de estacionamento selvagem, invariavelmente impune (mesmo aos fins-de-semana).

De qualquer forma, quem não conheça o local, terá dificuldade em dar a resposta certa.
Por isso é que afixei o passatempo neste blogue sobre Lisboa, e não noutro.

cicuta disse...

Que grande ideia, e se a Câmara adquirisse vários insufláveis com o aspecto da carrinha...

Carlos Medina Ribeiro disse...

Cicuta,

A sua resposta pressupõe que é por causa da carrinha da PM que a situação de caos não se verifica.

A resposta certa anda perto, mas é outra!

Jose disse...

a rua está cortada ao trânsito.

Joana Luz disse...

A polícia municipal começou a rebocar viaturas (embora ache difícil)

Carlos Medina Ribeiro disse...

José,

Não, não está.

Não se vêem carros, porque eu aproveitei uma 'aberta' para ir tirar a foto a partir da faixa de rodagem.

--
Lamento, mas julgo que quem não conhece aquela zona da Av. de Roma (nomeadamente o que ali se passa em termos de comércio e restauração), terá muita dificuldade em responder...

Carlos Medina Ribeiro disse...

Joana,

A carrinha não tem reboque.
Quando muito, tem bloqueadores.

Mas, como digo, não é por causa da carrinha que a zona está assim (como deveria estar sempre).

Carlos Medina Ribeiro disse...

Sugestão:

Neste mesmo post, clicar, na "etiqueta" que se vê em rodapé, nas iniciais CMR.

Aparecerão, agrupados, os meus posts - de entre os quais há muitos relativos a este local.

Joana Luz disse...

Os polícias municipais estão a "ajudar" os senhores condutores a estacionar civilizadamente?

Anónimo disse...

Adivinha-se que o Zé que fazia falta anda por ali, disfarçado de polícia de giro, a colocar tudinho nos eixos.

Carlos Medina Ribeiro disse...

A resposta está relacionada com o FRUTALMEIDAS.

Carlos Antunes disse...

Poderá ser que um camião abastecedor tenha parado logo ali à esquina, de tal maneira que nem por sombras qualquer outro carro pudesse passar para a Rua Frei Amador Arrais e que, só por isso, não hajam carros ali?
Não conseguiram lá chegar, coitados...

Carlos Antunes disse...

Poderá ser que um camião abastecedor tenha parado logo ali à esquina, de tal maneira que nem por sombras qualquer outro carro pudesse passar para a Rua Frei Amador Arrais e que, só por isso, não hajam carros ali?
Não conseguiram lá chegar, coitados...

Carlos Medina Ribeiro disse...

É frequente haver referências ao José Sá Fernandes no que toca ao trânsito e ao estacionamento selvagem.
No entanto, ele só tem estado ligado aos espaços verdes (jardins) e cemitérios.

Para estes casos de estacionamento selvagem tem de se apontar o dedo à EMEL, ao pelouro da mobilidade (CML) e à Divisão de Trânsito da PSP (MAI, Governo).

Carlos Medina Ribeiro disse...

Carlos Antunes,

Aqui vai uma 'dica':

No dia em que a foto foi tirada (tal como no anterior), não houve camiões abastecedores de fruta a parar ali.

O motivo que fez com que isso sucedesse, é o mesmo que fez com que não houvesse carros na quantidade habitual. E também fez com que a PM ali tivesse ido.

Se o Carlos costuma passar por lá (ou o fez recentemente), já sabe a resposta...

nunormg disse...

Querem ver que o FrutAlmeidas tava fechado?

Anónimo disse...

Ó Sr. Medina Ribeiro, desculpe lá, mas veja por favor no site da CML quais os pelouros do Zé.

Vai ter uma surpresa...

Carlos Medina Ribeiro disse...

Nunormg,

Sim, estava fechado - e isso já dá uma boa pista.

Se disser que estava fechado para obras... diz o resto.

Joana Luz disse...

Um contentor de entulho em frente ao Frutalmeidas a ser removido do local

Carlos Medina Ribeiro disse...

Não me queria desviar do assunto, mas José Sá Fernandes começou por ficar responsável pelo pelouro do Ambiente (que gere espaços verdes, jardins e cemitérios)

Mais tarde, acumulou: Espaço Público e Limpeza Urbana, Ambiente, Espaços Verdes e Plano Verde.

O Vereador do Pelouro do trânsito (apelidado "da mobilidade") é Marcos Perestrello.

O estacionamento selvagem será um problema de espaço público ou de trânsito?
Bem... se calhar é de ambos.

O certo é que nem um nem outro o resolvem - nem dão mostras de o fazerem em tempo útil.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Joana Luz,

Não, o Frutalmeidas é do lado esquerdo, e nem se vê na imagem.

Se o Nunormg desenvolver um pouco mais o que escreveu (ou alguém por ele...) o passatempo acaba.

nunormg disse...

Então, o Frutalmeidas estava fechado, para obras...
:) Não consigo ir mais longe! Ajuda?

Carlos Medina Ribeiro disse...

Nunormg,

Sim, e estando fechado para obras (como, de facto, estava), onde é que estão os clientes, cujos carros engarrafam a rua todos os dias e a todas as horas?

E quando há obras nas lojas, o que é que faz a Polícia Municipal?

nunormg disse...

Sem loja, não há clientes; sem clientes, não há carros; sem carros, não há caos!
A PM fiscaliza a obra...

AM disse...

Estaria a polícia municipal do outro lado da rua a orientar as obras e por isso a "afugentar" os estacionadores?

Mg disse...

Havia agentes da autoridade na rua a mandar os condutores circular, pelo que a paragem não era permitida.

Joana Luz disse...

este passatempo está a dar luta grande :)

tenho saudades dos pasteis de massa tenra e dos sumos naturais do Frutalmeidas.... mas nenhumas saudades da confusão que lá se vive à hora de almoço

Carlos Medina Ribeiro disse...

A resposta certa foi dada por Nunormg, pelo que o passatempo terminou e o livro vai ser-lhe enviado.

-

O que motivou este passatempo foi o seguinte:

Desde tempos imemoriais que esta rua é uma ilha da mais vergonhosa (mas não misteriosa...) impunidade, devido ao estacionamento selvagem das carrinhas e camionetas que servem o talho, e dos carros e jipes dos fregueses do Frutalmeidas.

A PSP, a EMEL e a PM não mexem uma palha, e não há memória de alguém ver, por ali, um carro bloqueado - desses que estão em 2ª fila ou em cima do passeio. Muito menos rebocado.

Ao deparar-se com uma situação de "legalidade perfeita", como a da foto, e ao ver a carrinha da PM, um ingénuo pensará que ambos os factos estão relacionados.

E estão, sim, mas muito indirectamente: as obras enxotaram os automobilistas e atraíram a PM...

No preciso momento em que escrevo, o caos regressou, e a "normalidade" foi reposta!

Em Outubro, não me esquecerei de votar nos pândegos que, por omissão, permitem esta vergonha...

Anónimo disse...

Perestrello? Ó Sr. Medina Ribeiro, desculpe-me, mas esse já saíu da CML para ir candidatar-se a Oeiras.

Quem acumula a mobilidade é o Costa, outro que fazia lá imensa falta...

Carlos Medina Ribeiro disse...

OK, mas por mim avalio a falta que fazem (ou que não fazem) pelos resultados.

Por mim, e no que toca ao trânsito e ao estacionamento selvagem, podem pegar neles todos (desde o Cruz Abecassis, pelo menos) e atirá-los ao Tejo, que não lhes notarei a falta.