domingo, maio 21, 2017

A ver Lisboa e à vista de toda a gente uma actividade de duvidosa legalidade (mariscadores) abunda no Tejo....
                                                        Carregar para ver melhor!

sexta-feira, maio 19, 2017

Para a agenda!
Um dos nossos maiores pensadores, do território da sua organização e vida, das culturas e sustentabilidade, do passado para o futuro.
No presente uma justa e merecida homenagem. Por um dos seus, um dos nossos, ao Arq. paisagista Fernando Pessoa cumpre honrar o seu saber e pensamento e gratificá-lo com a nossa amizade....
Honra a Gonçalo Ribeiro Telles e a uma vida dedicada à comunidade, ao saber e à vida!

quinta-feira, maio 18, 2017

Do meu amigo Raimundo Quintal:
"No Dia Internacional do Fascínio das Plantas partilho convosco duas fotografias duma pequena herbácea epífita, endémica dos mangais do Equador, onde está ameaçada de extinção.
Esta Tillandsia dyeriana, que possui inflorescências de requintada beleza, integra a coleção de bromeliáceas da Quinta Jardins do Lago no Funchal."

 Numa Lisboa onde, como aliás por quase todo o lado, os jardins e as plantas são degradados da vista e da vida da cidade.
Nem de propósito... chega-me o convite do meu amigo e grande especialista de termalismo, nas suas diversas vertentes e articulações. Jorge Mangorrinha:
                                                                       carregar para ler

Infelizmente já estarei a caminho de mais um Festival Islâmico, em Mértola!

quarta-feira, maio 17, 2017

Termas. Sou um grande entusiasta...
E recomendo, eu estarei em Edimburgo, noutra missão...

Palestra "As águas termominerais de Alfama: passado, presente e futuro de um recurso autóctone"

A palestra realiza-se no dia 31 de maio de 2017, às 16:00h, no Auditório Carlos Ribeiro no LNEG - Polo de Alfragide
Orador: Rayco Marrero Diaz
Resumo:
Desde a antiguidade que no bairro de Alfama (Lisboa, Portugal) está amplamente documentada a existência de inúmeras nascentes, algumas delas com características termais e/ou minerais. Na atualidade, no entanto, não resta qualquer evidência destas nascentes nem de outras com características similares na zona. A partir de um protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal de Lisboa, a Direção Geral de Energia e Geologia e o Laboratório Nacional de Energia e Geologia, tem sido realizados novos estudos geológicos, hidrogeológicos e geofísicos de detalhe na zona de Alfama, numa tentativa de obter um modelo hidrogeológico conceptual e avaliar o seu potencial quer como recursos hidrominerais, quer como recursos geotérmicos. A partir destes resultados é possível perspetivar um enquadramento favorável para o seu aproveitamento quer como recursos hidrominerais quer como recursos geotérmicos de baixa entalpia.

segunda-feira, maio 15, 2017

Estarei a pregar a jovens Erasmus' no Barreiro mas em espírito estarei junto da merecida homenagem a um dos arquitectos, que ao contrário de outros, marcou a cidade de Lisboa.

sábado, maio 13, 2017

Vivemos tempos que nos remetem, cada vez mais, embora em diversas conferências tenha vindo a verificar que é um livro... desconhecido, para o "1984" de George Orwell.
Mentiras, repetidas que passam a ser pretensas verdades, verdades que são rotundas mentiras, ou que pior são verdade e passam a ser mentiras substituídas pela mentira que domina os factos alternativos, in-verdades, mas de facto absolutas mentiras.
Não começou com o Trump, o Brexit foi baseado numa manipulação e mentira grosseira, como antes já a criatura Berlusconiana e o seu sucessor o palhaço Grillo. Bem acompanhados pela demagogia bolivariana , mas o quê? isso, da esquerda que é incapaz de perceber que os dogmas e chavões do panteão já não tem, se alguma vez tiveram, qualquer operacionalidade ou realidade.

É talvez com o fim da história e a anunciado morte das ideologias que essa dominância dos factos que não são factos, da história que deixa de ser e passa a ser uma narrativa da história e o futuro começa a ser a "grande ilusão", exactamente espalho dessa do Renoir.
Início o livro do Timothy  Garton Ash sem ilusões em descobrir mais do que estas e outras evidências, num mundo vigiado e onde tudo é controlado.
Hoje na Garrett leio o El Pais e este número, fora do meu contexto mas com a qualidade e grafismos habituais, do Descubrir El Arte.
Vamos fazendo-o enquanto esta não for também uma visão, como a tal senhora....
que era, obviamente, de cor!
Nota:
A última foi darem-me como vereador de uma câmara algures no país. E por mais que eu desmentisse e referisse que nada nem ninguém me falou,  não está nos meus horizontes a não ser que a terra seja plana, mas percebi logo de onde veio o boato e a sua utilidade...para alguém. A verdade é mentira, nem mais....

quarta-feira, maio 10, 2017

Para a agenda:
1º, dia 25 de Maio
2º, dia 26 de Maio

segunda-feira, maio 08, 2017

Ainda vamos a tempo....

domingo, maio 07, 2017

Vale a pena ir ver a notável exposição de mestre Almada na Fundação Gulbenkian
De ecce homo ás  obras sobre o trabalho:
Seja o jazz e o cabaret, seja a corrida ( à espanhola) e o picador.
ou pela figuração de um dos meus icones...
é uma exposição fantastica, duas horas de sonho e realidade desse.

sexta-feira, maio 05, 2017

Já aqui tenho falado, na negligência criminosa do Estado, na incapacidade do governo, deste e dos anteriores, no empastelamento judicial, e na falha da autoridade parlamentar e na deste absolutamente incompetente ministro do Ambiente, já aqui tenho falado da legionella, dos vitimados por um caso grosseiro de negligência industrial aliado as incapacidades e incompetências acima mencionadas.
Com um arranque meu finalmente constituiu-se uma associação das vítimas desse desastre, que causou centenas de feridos que continuam a carregar a fatalidade e mais de uma dezena de mortos.

Amanhã ás 17 horas ( e não ás 10 como indicado no cartaz) a cidadania deve fazer ouvir a sua voz!



terça-feira, maio 02, 2017



Esteve o Movimento Ibérico Antinuclear presente na Marcha do Clima.
As alterações climáticas, devidas em grande parte ao inapropriado uso das energias, é um dos grandes desafios que a Humanidade enfrenta. Todos temos que nos mobilizar para alterar o paradigma em que as nossas sociedades se atolam e criar suficiência.
Os combustíveis fósseis, o consumismo irresponsável, as lógicas de ganância e rapina dos recursos, são elementos deste presente que estão a comprometer o nosso futuro na Terra.
Sabemos como o culto da mentira domina os mais altos níveis de decisão, onde é referido que a energia nuclear é solução para contrariar as alterações climáticas.
Mas,
mesmo que não houvessem os problemas dos resíduos radioactivos insolúveis,
mesmo que associada á nuclear não houvessem as armas nucleares ou as com urânio enriquecido,
mesmo que não houvessem os inúmeros problemas do funcionamento destas fábricas,
mesmo que não houvesse o risco, o enorme risco, destas centrais, tal seria uma redonda mentira.
A energia nuclear é uma aliadas dos combustíveis fósseis na destruição do nosso planeta e da nossa vida neste.
Desde logo no processo de mineração do urânio, e sabemos também as consequências na vida dos trabalhadores e da população das zonas mineiras e as terras devastadas, mas a mineração e o enriquecimento do urânio são altamente emissores de dióxido de carbono, componente do efeito de estufa e das alterações climáticas.
E, e esse é um elemento crucial, a energia nuclear é pela sua lógica um obstáculo ao desenvolvimento das energias renováveis, eólicas, solares e outras e inimiga da eficiência energética.
As centrais nucleares, pela sua potência, ocupam a base do sistema eléctrico, impedindo assim que as renováveis possam crescer e obstaculizando, como é o caso em França, alternativas de maior eficiência ou como é o caso em Espanha limitando o crescimento das renováveis.
As renováveis, eficiência e novos paradigmas de gestão e melhoria da eficácia dos sistemas são as soluções para sobrevivermos em sociedades livres e sustentáveis.

FECHAR ALMARAZ E TODAS AS DEMAIS, 100% RENOVÁVEIS, é a nossa melhor contribuição para que o clima não seja nuclearizado!
Não à nuclearização do CLIMA, marchemos dia 10 de Junho, em Madrid, todos e todas!

E para desenvolver as renováveis, temos, além do nosso compromisso pessoal e sempre que possível a micro geração individual e a ligação à Cooperativa Coopérnico, as nossas renováveis, que com o verão a bombar, pese o  actual defice hídrico nos aquecem a alma.

 Os dados do mês passado dão-nos expectativa!
O esclarecimento, a luta contra a falta de firmeza, a luta contra os oligopólios e a transigência política ao poder financeiro destes, a corrupção e o segredo que rodeiam esta teia da nuclear prosseguem...