segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Lisboa em chamas

Os bastidores da política lisboeta já começaram a incendiar. Em Outubro, há eleições autárquicas. O PS não dá provas de querer uma política clara de futuro. O PCP decidiu não alinhar em coligações pré-eleitorais (há outras?) e os independentes e o PE Verdes já declararam que também não. A sua coligação será então a CDU, novamente. Helena Roseta concorre pelos Cidadãos por Lisboa e ficou muito satisfeita sem razões quando uma sondagem recente lhe garantia 16% se fosse coligada com o Bloco (Roseta mais BE somaram 18% há ano e meio, por isso não vejo por que é que 16% é uma vitória - como foi escrito num jornal). O Bloco, por seu lado, anda a estender o tapete vermelho com o emblema do BE a toda a gente para aquilo a que quis chamar uma coligação da esquerda grande. Sá Fernandes ficou totalmente inútil para este campeonato, neutralizado que foi pelo PS - que logo se vê o que é que lhe vai fazer. Estamos cá para observar, apesar das declarações altissonantes de «está-se bem».
.
Coligação à direita
À direita, nada de novo, desde que Santana disse que se oferecia e a distrital de Lisboa o impôs. Foi aí o início do fim de Ferreira Leite. Mas no que se refere a Lisboa, a minha opinião é que a junção com o CDS ainda é mais deprimente do que se PSL viesse sozinho. Já conhecemos o cenário. Os jornais todos à coca, grandes parangonas para nada de novo, com a hipótese do erário municipal outra vez a esvair-se a dar mais força aos que não o querem etc.. Isso, porque já vimos como foi em 2002 e até Agosto de 2007.
.
À esquerda
O mais lógico, neste quadro, era que PS e PCP se entendessem quanto ao essencial e arrancassem para outra coligação que modernizasse a de 1989/2001.
Mas uma análise recente que a CDU divulgou relativa ao balanço destes 17 meses de mandato de António Costa é arrasadora.
Isso, por mais que Costa se desmultiplique em convites ao PCP para um entendimento. A realidade que a CDU vê é mais forte do que a emoção que Costa mostra e que promove sem constrangimento - como aconteceu muito recentemente, no acto solene da atribuição da Medalha de Ouro da Cidade a Jorge Sampaio, por coincidência (claro que não) o primeiro presidente da CML na primeira coligação de esquerda.
.
Legislativas e sondagens
E assim se está: legislativas e conteúdos do mandato a impedirem uma coligação de esquerda; direita a repetir algo que nem tem qualificação; uma Helena Roseta a concorrer sozinha qual «cavaleira» solitária; Sá Fernandes a deixar de o ser e a não ser nada; o Bloco a dizer hoje que apoia Roseta e ontem e amanhã que vai apresentar um candidato próprio.
Isso, enquanto as sondagens apontam para qualquer coisa como 35% para Costa, 11% para Roseta, 10% para a CDU, 6 ou 7% para o BE e 25 a 28 para Santana. E a abstenção nos 55%.
O lavar dos cestos é no final de Outubro.
Há muita pedra para partir até ao início do Verão, data final para registar coligações. E talvez data de campanha ou mesmo de acto eleitoral para as legislativas - isto, se Cavaco as marcar para Outubro ou para Junho, como quer Sócrates e se Sócrates, num assomo de repentismo, não decidir «ter» legislativas antes de o PSD se reorganizar e se, para isso, enveredar pela demisssão.
Desta vez, tudo o que bulir nessa matéria tem a ver com Lisboa.

5 comentários:

Anónimo disse...

Que palhaçada de texto! Então a esquerda governa bem? Com a Rita Magrinho, vereadora do PCP no pelouro do Desporto, a encher os bolsos a colectividades que apenas abrem todos os dias para dar de bener e de jogar a uns quantos??
O PCP (sim porque o PEV não existe) devia pensar na vergonha em que o Desporto se tornou na cidade.

josé carlos mendes disse...

Que indigência de comentário.
Que ignorância.
Que descanso.

Amanhã remeto-o para um texto sobre esta matéria, não por si mas pelo leitor interessado na verdade.

Depois há outra coisa: para quem se mantém anónimo, é muita copragem chamar ao meu texto uma palhaçada...
Herói...

Anónimo disse...

A vergonha em que se tornou o desporto na cidade de Lisboa não foi certamente da responsabilidade da vereadora Rita Magrinho, digo-lhe mais, se há pessoa que conhece bem e muito bem, o movimento associativo e as colectividades da cidade é ela mesmo, compartilhou muito de perto com tudo de bom que se fez naquela altura.
Acredito que haja dirigentes associativos que não aplicam correctamente os dinheiros, é como em tudo na vida...(olhe estes exemplos actualmente em destaque)..., mas o anonimo pode ter a certeza absoluta de que existe por este pais fora muitos e muitos dirigentes que voluntariamente promovem o desporto aos cidadãos e jovens sem nada em troca, principalmente nesta cidade de Lisboa que tem de facto e ai concordo consigo um parque desportivo vergonhoso.

Jose Augusto Martinho

Anónimo disse...

Mas onde foi publicada esta sondagem, pode informar

Anónimo disse...

O PCP se algo terá que esclarecer os Lisboetas é com as alianças que fez com o PSD em muitas juntas de Freguesia de Lisboa , algumas como a de S. José já acabaram, pois o trabalho era demasiado mau, outras possivelmente se seguirão até ás eleições, pois os resultados foram francamente mediocres.