sábado, maio 30, 2009

Nas próximas autárquicas, não se esqueçam de votar em quem permite isto!

Acesso ao pátio do prédio N.º 43, da Av. de Roma, pelo N.º 1 da Rua Frei Amador Arrais. O pátio tem 4 garagens e 6 lugares marcados no pavimento. Esta foto, sem carros a impedir o acesso, só foi possível de obter porque foi tirada num domingo, muito cedo.
*
As fotos seguintes foram tiradas, com pouco tempo de intervalo, no passado dia 28, à tarde.

,
A condutora do carro encarnado quer sair do estacionamento que se vê na 1ª foto.
.
A poucos metros dali, à entrada da rua, um fiscal da EMEL olha para todo o caos que é o seu ex libris ("seu" - da rua e da EMEL). Depois, foi pela rua afora, ao longo de tudo o que se vê na 2ª imagem - e eu, que por acaso ia no mesmo sentido, pude testemunhar o que ele fez.
Pergunta-se: o que foi?
.
NOTA: passa amanhã mais um mês (o 13.º) dos Prémios António Costa [ver AQUI], alguns dos quais são relativos a este local de Lisboa. Até à data, e apesar de bastante publicitados, nunca foi, sequer, reclamado um único! Ora porque será, hem?!

13 comentários:

Carlos Medina Ribeiro disse...

Anedota adicional: lê-se nos jornais que a EMEL anda com falta de dinheiro...

Querem que eu faça a cobrança aqui na zona, à percentagem?

Anónimo disse...

Conheço bem a zona e o escândalo da impunidade, que ali se arrasta há anos e sem fim à vista.,

Mas já que a EMEL (e a PM e a PSP?) não querem cobrar as multas, porque não despedem estes fiscais incompetentes que andam ali a passear e nunca - POR NUNCA!!! - multam aquela gente (nomeadamente as camionetas do talho)?

E a placa do Artigo 14 (ou 50) não serve para nada?
Os moradores não chamam a polícia?
Ou chamam e ela não vem ou não faz nada?

Que amiguismos há ali?
Que compadrios?

Estes fiscais não têm brio profissional?
Não têm vergonha por não fazerem aquilo para que nós lhes pagamos o ordenado?

Chiça! Se não sabem (ou não querem) fazer o trabalho, desapareçam-nos da vista, e dêem lugar a outros!

Ed

Anónimo disse...

Eu farei assim, pelo menos tenciono:

Avaliarei que lista concorrente à CML está em melhores condições de correr de lá com o Zé que é uma fraude (e que detém «apenas» os pelouros do Ambiente, Espaços Verdes, Plano Verde, Higiene Urbana e Espaço Público).

Votarei nessa lista, seja ela de que cor for.

Carlos Medina Ribeiro disse...

No caso desta esquina e desta rua, o Zé até está inocente, pois nada tem a ver com a J. Freguesia, nem com a PSP, nem com EMEL nem com PMunicipal.

Isto é, essencialmente, com o pelouro do trânsito (da CML e do MAI).

A Junta de Freguesia não é capaz de meter ali 1 ou 2 pilaretes.

A DT da PSP (que depende do MAI, Governo), nem se vê.

A PM, aparece de vez em quando. Gera-se alguma agitação mas, mal vira costas, volta tudo ao mesmo.

Quanto à EMEL - essa, sim - passa ali várias vezes por dia mas, no que toca às camionetas e ao estacionamento em 2ª fila, é como se não existisse. NÃO FAZ RIGOROSAMENTE NADA.

Eu, por mim, punha um processo de averiguações para saber o que é que se passa ali, concretamente, pois é muito misterioso.

Anónimo disse...

Bem, se o Costa prometeu, que eu ouvi, acabar com o estacionamento selvagem e o Zé tem o pelouro do Espaço Público, alguma coisa hão de ter a ver com o assunto, quanto mais não seja terem feito promessas que sabiam perfeitamente não poderem cumprir.

Anónimo disse...

(Só para acrescentar que acedi mesmo agora ao website da CML apenas para confirmar uma coisa de que eu já tinha a certeza absoluta: não há - outro - vereador com o pelouro do Trânsito, pois esse pelouro nem existe na actual orgânica da dita).

Carlos Medina Ribeiro disse...

Noto que ainda ninguém respondeu à pergunta que coloquei:

O que é que fez o fiscal da EMEL quando percorreu o passeio, ao longo de todo aquele caos? Nomeadamente: o que é que fez ao Smart cinzento que costuma estar sempre ali a bloquear a saída?

Joana Luz disse...

Limitou-se a passar e não fez nada aos carros!

Carlos Medina Ribeiro disse...

Pois... Não é por acaso que a pergunta, desta vez, NÃO TEM PRÉMIO...

António C. disse...

Caro Carlos Medina Ribeiro, não acha ilusório pensar que o facto de se votar em quem quer que seja, fará mudar a situação?

Por exemplo, não nego que simpatizo com a candidatura de Helena Roseta e dos cidadãos por Lisboa. Mas mesmo estes, já viu como deixaram ao abandono a sua sede de campanha na Rua das portas de Sto. Antão? Nem os autocolantes tiraram dos vidros dessa sede de camapanha...

Enfim, estamos sem remédio...

O problema não é tanto mudar os políticos. Podemos mudar de povo?

Anónimo disse...

E aquele inacreditável inquérito da D. Roseta?

O palavreado caro, próprio de doutorados e que de concreto nada de nada diz merecia um post apropriado.

Por exemplo, eu sou convidado a dizer se concordo, concordo em parte, não concordo nem discordo, discordo em parte, discordo de coisas como o que segue:

"Incentivar a convivência e desenvolver a cidadania, através de políticas públicas de criação de igualdade de oportunidades, de reforço dos laços de vizinhança e solidariedade activa, de promoção da diversidade e da interculturalidade, de fomento da inovação, de apoio ao empreendedorismo social e ao urbanismo comercial, de incentivo ao envelhecimento activo e de combate à exclusão social".

Tudo isto está assim mesmo, uma série de assuntos no mesmo saco, sem a mais mínima explicação de que políticas se propõe uma mera Câmara Municipal promover para prosseguir aqueles objectivos (bolas, fiquei contagiado pelo palavreado caro e estranho ao cidadão comum).

Carlos Medina Ribeiro disse...

António C.

Admito que tenha toda a razão, até porque o escândalo desta rua (e de muitas outras) já vem de trás, de vereações de direita e de esquerda...)

Mas também sei que o que mais assusta os actuais autarcas é perderem votos. Assim, julgo que talvez (mesmo os actuais pândegos) pudessem fazer alguma coisa até Outubro, pressionados pelo descontentamento.

Anónimo das 09:25 disse...

Onde escrevi «políticas que a CML» era para escrever «medidas que a CML».