terça-feira, fevereiro 23, 2010

Visitas guiadas à CRIL? Sim. Leu bem; visitas guiadas à CRIL

Visitas guiadas à CRIL até para chefes de Estado -PUBLICO

O Presidente do Panamá, "as mais altas figuras do Estado" português e "entidades estrangeiras ligadas ao sector da engenharia" foram algumas das "várias entidades" que por lá passaram em 2009. A lista de visitantes, ontem divulgada, não se refere a um qualquer museu ou monumento nacional, mas sim, imagine-se, à obra da CRIL entre a Buraca e a Pontinha, que é alvo de contestação e de um processo de averiguações por parte da Comissão Europeia, devido às consequências negativas que a construção acarreta para moradores vizinhos daquela via.
O próprio vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, Nunes da Silva, disse em entrevista recente ao PÚBLICO que o troço mais polémico é "um verdadeiro crime". Apesar de todas as críticas, a promotora da obra tem feito visitas guiadas a diversas entidades e individualidades, incluindo chefes de Estado.
Num comunicado, a Estradas de Portugal (EP) divulgou uma lista de algumas das pessoas e organizações que recebeu "para conhecerem a obra e o projecto da empreitada". A empresa sublinha que, apesar de ter uma extensão de apenas 3,6 quilómetros, se trata de "uma obra de elevada complexidade técnica que se desenvolve em pleno meio urbano".
É esse, aliás, um dos motivos por que a Comissão Europeia decidiu recentemente não arquivar as queixas dos moradores que acusam os promotores das obras de terem executado um projecto diferente daquele que foi apresentado.
Mas pelo que se depreende do comunicado da EP, não é por essas razões que a obra em causa tem suscitado um "enorme interesse". Das visitas recebidas, a empresa destaca a do primeiro-ministro, José Sócrates, a do ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações e a do secretário de Estado adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações. Mas a esses nomes mais previsíveis juntam-se outros algo inesperados, como o do Presidente do Panamá, que esteve em Portugal para a Cimeira Ibero-Americana e se deslocou à obra a convite do empreiteiro. Inês Boaventura
.
O outro lado da questão: CRIL SEGURA

2 comentários:

Anónimo disse...

Figo, se não foi, devia ter ido.

João Oliveira Leonardo disse...

À CRIL? Mas ninguém indicou ao senhor nenhum sitio de Lisboa mais agradável? Por exemplo a torre de Belém que tinha à frente do nariz?