quinta-feira, janeiro 11, 2007

Outro passatempo interessante

Além de fotografar o estacionamento selvagem à porta da AML de Lisboa nas alturas em que os representantes do povo, lá reunidos, debitam ideias sobre o assunto, tenho um outro passatempo instrutivo:
Não, não se trata apenas de fotografar carros como este! Trata-se, sim, de o fazer quando andam, por perto, agentes da autoridade.
Quando me parece que têm um ar pachola, vou ter com eles, sorridente, e meto conversa.
Depois, de chofre, pergunto-lhes porque é que não fazem nada em relação a carros como o que aqui se vê.
Em consequência disso, já tenho uma saborosa colecção de respostas no meu arquivo - todas a "explicar" porque é que não fazem nada.
A melhor de todas é de um graduado da Divisão de Trânsito da PSP de Lisboa: «Têm instruções para não interferir».
-
NOTA: Uma resposta semelhante foi-me dada, em Outubro passado, por um graduado da PSP de Lagos. Pode ver-se [aqui] um exemplo, sucedido hoje mesmo, do que pode suceder em consequência dessa curiosa postura...

7 comentários:

MissPearls disse...

Medina Ribeiro,
Já viu isto hoje?
"Uma comissária da PSP, ao serviço do Comando Distrital de Leiria, foi detida por uma patrulha da Brigada de Trânsito (BT) da GNR, terça-feira à noite, por estar alcoolizada com uma taxa superior a 2,0 g/l, ao ser testada na sequência de um acidente de viação."
http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=227160&idselect=10&idCanal=10&p=200

Carlos Medina Ribeiro disse...

Sim, li.

Vou divulgar.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Essa afirmação espantosa de que a PSP tem instruções para NÃO interferir no que toca ao estacionamento em cima dos passeios (ou só agir a pedido) ouvia-a também a um graduado da PSP de Lagos.

Quem será que dá tão sábias instruções?

António Costa saberá disso?

Mirmidão disse...

Pois em frente à minha faculdade (ISEL), multam-se diáriamente os estacionamentos selvagens ( e bem).
???!!!

Um @bração
d'Aquiles

André Bernardes disse...

ou chamem um sociólogo, em vez de um político! hei, hei hei!
pois, para mim é mais uma explicação baseada na nossa singular maneira de ser (o tal 'nacional porreirismo')neste caso extremado pela inconfessável resposta ou 'lata' na forma do agente de autoridade encarar a própria autoridade, vulgo leis, doque outra coisa...apostaria!

ou, noutro prisma, a expressão de uma outra 'cidadania de rua', bem lusitana e anónima do famoso'ich bin ein berliner'!? aqui traduzida (com muitíssima liberdade)para um "também eu às vezes, quando me vejo atrapalhado, sou obrigado a estacionar onde calha"!?

dado o mote...venha o debate!

C. Medina Ribeiro disse...

André Bernardes,

Introduzi, no post, uma NOTA com um link curioso...

MissPearls disse...

"Pois em frente à minha faculdade (ISEL), multam-se diáriamente os estacionamentos selvagens"

Pois na lateral ao Campo Grande junto ao Museu da Cidade e em frente da Faculade de Letras, os jovens estudantes (encartados e naturalmente endinheirados) deixam os carros nos passeios e na via. AH! O parque de estacionamento é em frente!
Resultado: Só passa um carro de cada vez o que provoca congestionamento. Uma tristeza ver os cegos na estrada.

O gabinete de Sinalização da CÂmara enviou-me o maiL:
"Foi colocada sinalização a proibir a paragem e o estacionamento no acesso do Campo Grande ao Museu da Cidade e Faculdade de Ciências."

Pois sim. Mas onde pára a polícia?
Porque os jovens, tadinhos, acham que a cidadania serve para escrever textos com "coisas lindas."