quarta-feira, janeiro 17, 2007

Radares em Lisboa

Não estraguem…

… Não estraguem esta coisa dos radares com a falta de jeito para a informação e com a habitual queda para a propaganda… deslocada. E oiçam lá a PSP, já agora...

Senhores da Câmara, por favor não estraguem o que pode estar bem. Não dêem largas à falta de jeito. Isto já está a dar resultados psicológicos.

Hoje, já vi uns quantos aceleras a retrair-se. E há menos malta a acender os máximos para que ande depressa, tipo: «Mexa-se, mexa-se». Realmente parece uma pena andar a 50 na Infante D. Henrique. Mas que diabo: é a velocidade legal, não é? Por causa dessas e de outras é que apanhei há tempos um susto dos diabos. E ia ficando sem carta. E estou género «à experiência»…

Mas nem tudo são rosas, nesta coisa dos radares. Há logo quem diga depressa que é só caça à multa. E há mais - e mais sério.
Há uns tempos lia-se no Expresso: «A PSP não foi ouvida no processo da colocação dos 21 novos radares em Lisboa. Zonas críticas em acidentes ficaram esquecidas». E mais isto: «A PSP, que até era a única autoridade a fazer controlo de velocidade em Lisboa, não foi ouvida pela autarquia para a escolha dos locais onde os radares estão a ser instalados. Em 2005, a PSP levantou mais de 10 mil autos por excesso de velocidade em Lisboa, no valor de cerca de 13 milhões de euros».

Oh, diabo! Isso já é pior.
Aquilo da PSP não ter sido ouvida foi escrito há umas semanas. Mas logo, logo fez-se um silêncio absoluto sobre esta matéria. A PSP já foi ouvida? Os locais perigosos esquecidos já estão cobertos?

Mais: hoje de manhã, na Marginal, em Algés, à entrada de Lisboa, deparei com o cartaz electrónico de Bom Ano da CML. Mas parece-me que é um painel deste programa da instalação de radares de controlo de velocidade. E dizia assim: «Bom Ano / Em Segurança / CML». Ou seja: um painel de publicidade / propaganda. Para quê misturar as coisas? Não faz sentido nenhum e vem estragar a festa que todos reconhecem justa.
Falta de jeito ou vício de contaminar tudo com propaganda? Há quem dependa do álcool, outros da cafeína… etc…. e outros, pelos vistos, dependem da propaganda na mesmísima medida…
Uma pena.

11 comentários:

Bic Laranja disse...

É vício de contaminar tido com propaganda. Desde compense em dinheiro ou votos...
Cumpts.

MissPearls disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabel G disse...

Caro José Carlos,
Totalmente de desacordo consigo (hei-de escrever sobre isso):

A Vereadora Marina teve a coragem política de fazer o que já devia ter sido feito há muito.

Os radares tiveran resultados muito positivos na VCI - Porto há já dois anos, assim como o enorme sucesso da colocação de radares no Periphérique de Paris (nos tempos em que o Sarkozy foi Ministro da Ad. Interna, numa acção conjunta de todo o Governo e do Presidente da República Chirac)

Em ambos os casos houve protestos, indignações, etc, etc. mas resultou.

2º Sempre que chamo a atenção para a PSP relativamente a situações escandalosas de estacionamento, etc. mandam-me passear.
Não lhes vejo vontade de actuar nem autuar.
MAs alguém tem que fazer alguma coisa.
É a Vereadora Marina? Que seja!
Até agora nunca ninguém tomou essas decisões.
É um instrumento dissuasor? Sabemos que sim. Ajudar a acabar com as correrias à MAD MAX nas ruas de Lisboa? Sempre ajuda.
Ainda falta cobrir alguns pontos da cidade? Faltam sim senhor.

Esta é a minha opinião.

17/1/07 20:34

Isabel G disse...

Têm que ser transmitidos à sociedade sinais de que a impunidade terminou.
A instalação de radares é um bom começo.

Isabel G disse...

Daqui onde estou posso ouvir as velocidades a que estão a circular no Eixo Norte-Sul. Uma loucura.
E aqui não há radares.

Carlos Medina Ribeiro disse...

A instalação de radares é uma medida necessária mas não é suficiente.

Veremos quantas multas vão ser, NA REALIDADE passadas, quantas vão ser pagas, quantas vão prescrever e quantas vão parar a inocentes (como sucedeu com a DGV)...

Palpita-me que o facto de a CML ter posto a PSP de parte (neste processo), vai ter um custo elevado em termos de eficiência.

Esperemos que esteja enganado, claro. Até porque já tive um familiar e um grande amigo mortos por aceleras - que continuam a guiar, pois com certeza!

Anónimo disse...

Claro, Medina Ribeiro.
Na minha opinião é um começo, um sinal.

"Palpita-me que o facto de a CML ter posto a PSP de parte"
Na luta contra a sinistralidade não deve haver "partes". Susceptibilidades quando estão em causa vidas humanas?

ISABEL

José Carlos Mendes disse...

Cara Isabel,

Claro que sim: a CML fez bem em colocar. Digo no «post» isso mesmo: «Isto já está a dar resulatdos» e «Hoje já vi alguns aceleras a retrair-se».

E é mesmo verdade.

Agora isso não me impede de reflectir: 1) a PSP devia ter sido ouvida; 2) se a PSP conhece outroslocais perigosos, isso deve interessarà CML; 3) os painéis de propaganda não ajudam: só estragam o que está bem feito.

Isabel: agradeço a polémica: dela pode nascer mais esclarecimento (nosso).

Anónimo disse...

CAro José Carlos,
Estamos cá para isso :)

1 e 2) Ignoro a postura da PSP nesta colaboração conjunta. Como se posicionou desde o ínicio?
O que é mais importante? "AS capelinhas", "as atribuições" ? A vida humana sobrepõe-se acima disto tudo.
Assim como a defesa do bem público, da lei e da ordem.
O que têm mais é cumprir as funções que juraram cumprir. Para mim é só isto. O resto, são histórias sem interesse que só prejudicam a protecção à vida humana, a vivência social na cidade e dão sinais preocupantes de impunidade.

EX: O estacionamento selvagem a 20 metros da esquadra da PSP no CC COlombo, com os viadutos e acessos ao parque completamente apinhados de carros. Isto não é normal!!

3) Os painéis de propaganda são escusados: os da Câmara, dos partidos políticos, etc. etc. Tanta poluição visual inútil já chega.
Já é tempo de se fazer outra política.

Isabel G disse...

O comentário acima é meu.
José Carlos,
ÁS vezes penso que pertencemos aos últimos Moicanos. Aos anos que andamos nisto....
:)

José Carlos Mendes disse...

:)

::))