sexta-feira, dezembro 05, 2008

O ginásio da Lapa

Há treze anos, depois de ter estado ao computador durante seis horas, paralisei das costas. O médico, que me observou, inquiriu se fazia exercício físico, tendo a resposta sido negativa. Foi assim que dei comigo a pagar uma matrícula – irrisória – no “Complexo Desportivo da Lapa”, a dois minutos de minha casa. Nascida no seio da Mocidade Portuguesa, a instituição fora transferida, depois do 25 de Abril, para as mãos da Presidência do Conselho e, mais tarde, para as da Junta de Freguesia, tendo, no ano passado, sido concessionada, até ao final do próximo ano, a uma empresa privada, a Munditendências.

Li recentemente no Público (27.11.08) que a Secretaria de Estado doTesouro decidira fechar o ginásio, a fim de transferir os terrenos para uma empresa pública, a Estamo, que o irá vender a privados, para ali se construírem, presumo, condomínios de luxo (sei que o Plano Director Municipal classificou a zona como “área de equipamentos e de serviços públicos”, mas tenho a certeza de que alguém, algures, conseguirá ultrapassar o entrave). Entretanto, o Tesouro atribuiu 6,3 milhões de euros ao Instituto de Desporto de Portugal, a fim de que este possa construir equipamentos desportivos no vale do Jamor.

Sucede que as pessoas que frequentam o meu ginásio – latagões a transpirar testoterona e velhas que adoram as aulas de Tai-Shi – não têm hipótese de se deslocarem até Monsanto, muito menos de pagarem a mensalidade exigida pela piscina do Hotel da Lapa. Aliás, o ginásio não serve apenas um fim desportivo. Por muito mal que os balneários cheirem, e cheiram, as velhotas gostam de estar ali, a falar do gato, a dizer mal dos políticos e a queixar-se de doenças. Sei-o, porque há anos que as ouço. Ora, se eu posso optar, as minhas vizinhas não o podem. Numa cidade onde as infra-estruturas desportivas são raras, é um crime fechar-se o ginásio da Lapa.


In Meia Hora

3 comentários:

Anónimo disse...

Ee e a minha Mulher também temos sido utentes do CDL, e também a conselho médico.

Só que tenho a ideia de que as instalações (e nomeadamente a piscina) são muito posteriores à Mocidade Portuguesa e ao 25 de Abril e até relativamente recentes (talvez uns 12-15 anos).

O que me espanta é que o embargador não tenha embargado qualquer hipótese desse negócio em perspectiva. Ou melhor, isso deixou de me espantar.

(errata) disse...

(Eu)

MFerrer disse...

ÚLTIMA HORA:
COMUNICADO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
21:00h, 5 de Dezembro de 2008

1 – Chegou hoje ao fim o processo de negociação das medidas tomadas pelo Governo no dia 20 de Novembro para facilitar a avaliação do desempenho dos professores.
2 – Os sindicatos, neste processo, não apresentaram qualquer alternativa ou pedido de negociação suplementar, pelo que o ME dá por concluídas as negociações, prosseguindo a aprovação dos respectivos instrumentos legais.
3 – O ME, mantendo a abertura de sempre, respondeu positivamente à vontade dos sindicatos, expressa publicamente, de realização de uma reunião sem pré-condições, isto é, sem exigência de suspensão da avaliação até aqui colocada pelos sindicatos. Foi por isso agendada uma reunião para o dia 15 de Dezembro, com agenda aberta.
4 – Os sindicatos foram informados que o ME não suspenderá a avaliação de desempenho que prossegue em todas as escolas nos termos em que tem vindo a ser desenvolvida.

Mário Nogueira, dadas as suas declarações nos telejornais d ehoje à noite, é um mentiroso compulsivo e não pode ser um parceiro fiável para nada!
MFerrer