sábado, maio 24, 2008

Alguém sabe...?

24 de Maio 2008
ALGUÉM SABE o que significa esta palhaçada hippie (um colar de bóias...) a ornamentar a Torre de Belém?!
*
Actualização: ver o post mais recente intitulado «E porque não aqui?», onde se sugere mais um lugar para experiências visuais de igual jaez.

11 comentários:

Helena disse...

É uma instalação (Colar) da Joana Vasconcelos:
http://sic.aeiou.pt/online/noticias/cartaz/20080513Joana+Vasconcelos+veste+Torre+de+Belem.htm

Helena disse...

Resta saber o que a EDP nos reserva para os mosteiros de Alcobaça, Batalha e Jerónimos, castelos de Óbidos e Guimarães e para o altaneiro palácio da Pena....
É caso para dizer... ora Bolas!

Carlos Medina Ribeiro disse...

Obrigado.
Fiquei esclarecido, mas acho que os monumentos nacionais (pelo menos os mais vetustos) deviam estar ao abrigo destas 'experiências'.

Uzi disse...

O Portugal dos pequeninos de cabeça não nos deixa de surpreender. A expressão "palhaçada" é um expoente máximo do vocabulário semi-analfabeto e inculto do embrutecido português. Uma outra caracteristica é uma espécie de veneração relicária por qualquer "monumento nacional". A saloice em todo o seu esplendor. Afinal não mudamos assim tanto desde salazar, pois não

Anónimo disse...

Pode ser uma obra artistica, pode ser o que lhe quiserem chamar, mas que fica ali um bocado "piroso", lá isso é verdade! Há tantos espaços feios, onde de certeza ficaria muito melhor esta instalação. É uma opinião claro!

Anónimo disse...

ora, ora, é perfeitamente inofensiva, original e sempre cumpre essa missão, que foi repararmos na obra, despoletando uma discussão (sobre arte)! antes isso que um 'embrulho' à Cristo, uma espécie de Gehry da escultura ; )

AB

Anónimo disse...

Acho que já vi uma coisa no género no regaço de uma sul-americana. Mas fiquei-me a olhar para as (com licença) mamocas e não posso garantir.

Carlos Medina Ribeiro disse...

O que está em causa é algo que tem semelhanças na música:

Se tocarmos um dó simultaneamente com um mi, soa-nos bem.
Mas se tocarmos o mesmo dó com um ré, já soa mal. É uma dissonância, embora haja quem aprecie, e compositores célebres fizeram maravilhas com elas.
Tudo vai, pois, do "ouvido" de quem ouve.

Também aqui, o colar na Torre de Belém me parece uma "dissonância". Há algo ali que - quanto a mim, claro! - não bate certo, que não é apropriado, que, em suma, parece errado.

Mas, como nas dissonâncias, há quem aprecie.

Anónimo disse...

(...) mas eu concordo com a comparação, até porque me parece que faria parte dos propósitos, da intenção de quem imaginou(?)a dita instalação, por sinal, muito berloque-lúdica-pop! e cujo efeito é redobrado por ter ousado 'mexer' num dos 'intocáveis' monumentos da gesta marítima.

Sendo uma instalação efémera, porque não...a provocação?

AB

Anónimo disse...

Informo de que coisas identicas ( obras de "arte") estao tb na Batalhe alcobaça e etc...

dorean paxorales disse...

São balões chineses?