quinta-feira, maio 15, 2008

O 'Hotel dos Trindades':

A inauguração de um hotel em Albufeira fez notícia e reportagem curiosíssima na SIC. No meio de toda aquela excitação e flutes de 'Porto Bay', e elogios de parte a parte (que país este!), eis que surge o seguinte protesto contra a CML - calcule-se, por, desta vez, estar a zelar por um dos bairros resistentes de Lisboa, o Bairro Barata Salgueiro (que, aos ignorantes, convém informar que é o primeiro bairro a ser construído no pós-Avenida da Liberdade, destinado à classe média da altura e composto por quarteirões elegantes, bem desenhados e com prédios de autor; e que se encontra, apesar de tudo, ainda mais ou menos íntegro e homogénio). Reza assim:

«António Trindade, presidente do Grupo Porto Bay, responsabiliza a Câmara Municipal de Lisboa dos sucessivos atrasos no processo de licenciamento do hotel de 4-estrelas que a rede quer construir no centro da capital portuguesa e admite que já “teria desistido do hotel se estivesse noutra fase”.

O hotel está previsto para a Rua Rosa Araújo, perto da Avenida da Liberdade, mas o processo tem vindo a arrastar-se durante vários anos, levando o presidente a afirmar que “Lisboa tem sido um dossier muito difícil”.

Há “três anos e meio que estamos à espera para arrancar”, referiu, depois de sublinhar que o projecto já foi aprovado, mas o processo continua a sofrer sucessivos atrasos na Câmara Municipal


Refira-se que o projecto em causa é da autoria, ao que se sabe, do Arq. Valsassina, e terá este aspecto (fotos), na linha, aliás do 'frenesi travesti' que insistem em metamorfosear aquela que foi a avenida mais bonita do país:




Já os prédios em que os Srs. Trindade (já que o que é de pai será de filho, ou não é assim?) pretendem construir, esses estão devolutos há anos, há muitos mais que três anos, e, numa cidade decente, corrijo, numa capital decente, a edilidade e/ou o governo, teria intimado os seus proprietários a fazer obras e a reabilitá-lo.
Muito menos imagino um projecto destes em pleno boulevard nobre de Paris, Roma ou Madrid. O portugués despreza, realmente, o pouco que tem. Viva o 'pugresso'.


3 comentários:

Anónimo disse...

Sim senhor, aqueles três andares ficam ali às mil maravilhas. Só é pena é ficarem por cima e não, como devia ser, por baixo.

Bic Laranja disse...

Não digo isto muitas vezes em público.
Rica merda.

Anónimo disse...

Especialmente aquela parte pendente.....humm, tanto gosto que este arquitecto tem....
(gostei dessa dos três andares, por baixo)...é uma boa ideia mesmo!

JA