quinta-feira, julho 03, 2008

Não me chateie

Li o que Catarina Prelhaz escreveu sobre a coisa mas não tinha a dimensão da emotividade da cena no terreno. Foi na inauguração do Parque Bensaúde. Uma munícipe saltou para a liça e desatou a falar daquilo que a preocupava. Terá colocado na voz a emoção dos ofendidos. Sá Fernandes não teve estofo. Não se aguentou nas canetas, como diz o Povo, o Povão. De quem Sá Fernandes tanto disse sempre que tudo fazia em nome dos seus interesses, dos interesses das pessoas reais, de carne e osso.
Ontem, na sessão descentralizada da CML sobre a Mouraria realizada no Atheneu, foi visível o incómodo de Sá Fernandes quando se verificaram protestos alargados de pessoas presentes, designadamente quando uma munícipe lhe deu recortes de jornais para conhecer a realidade da Mouraria, acusando-o de «não conhecer a realidade do dia-a-dia do bairro».
Dois episódios, um denominador comum: um político com dificuldades com a «polis», a população, digamos.
É que, quando é para lhe dar no duro, a coisa é dura. Muito dura.
.
Populismo de providência cautelar na mão é fácil.
Política dura, rua, problemas reais e pessoas de cane e osso - isso é mais complicado.
.
Lamento pelas pessoas que gastam o seu latim sem resultado. Lamento pelas pessoas que gastaram os seus votos sem resultado. Lamento por Sá Fernandes que sempre mereceu mais do que isto de si mesmo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Na RR em 13 de Julho de 2007
O candidato do Bloco de Esquerda à Câmara de Lisboa foi esta quinta-feira à Mouraria denunciar as condições em que vivem os moradores daquele bairro histórico.
José Sá Fernandes disse que quer tratar dos problemas daquele bairro popular, cuja degradação é visível e em que há pessoas sem água em casa.
O lixo amontoa-se nas ruas desta parte esquecida de Lisboa, que o cabeça-de-lista do Bloco quer reabilitar.
“Eu, a minha candidatura, queremos reabilitar a cidade. António Costa e Carmona Rodrigues têm um plano secreto para não investir aqui e investir nas urbanizações da frente ribeirinha”, acusa Sá Fernandes.
O advogado quer conhecer este alegado plano e já escreveu uma carta ao Primeiro-ministro, para que o plano para a zona ribeirinha seja conhecido antes das eleições de domingo.

Anónimo disse...

Parque Bensaude, que a Jornalista Prelhaz tenha encontrado como unico motivo de interesse as reclamaçoes de uma senhora sobre a segurança e pouco mais, revela, que não entendeu o fundamental , após uma falsa abertura no tempo do Santana o Parque Bensaude foi devolvido á população da Estrada da Luz e de Benfica, em suma o importante é isso, Lisboa tem mais um espaço verde, que pode ser usufruido pelos seus municipes, se a tal Jornalista do Publico, acha que isso é secundario, o problema é dela, e já agora de quem lhe apara os golpes....

Sobre a Mouraria a questão é muito mais dificil , quem passa na Mouraria vê há decadas obras de Santa Engracia que nunca mais estão prontas, já passaram pela Camara vereações PSD-CDS, PS-PCP de novo PSD-CDS, e o que é certo é que com todos os planos de reabilitação a Mouraria está em ruinas.

Desconheço os objectivos, as propostas, e quem é este grupo de interessados em dinamizar o espaço, o problema de fundo é este, recuperar a Mouraria é um dever de qualquer vereação da Camara, há mais de 20 anos as obras lá continuam a avançar a passo de caracol,e neste momento com poucos recursos, o que poderá fazer a Camara.....

Há mas o problema tem um nome Sá Fernandes, o pau para toda a obra, o responsavel de tudo o que de mau esta cidade tem....

E o PCP e os mais de 10 anos que passou na Camara, e nas Juntas, tambem não tem contas a prestar aos moradores da Mouraria...

E já agora aos de Campolide, apesar do Tribunal de contas ter arquivado um processo sobre gastos não juastificados na vereação PS-PCP em Campolide.

João Vicente disse...

não conheço josé carlos mendes nem sá fernandes, mas é confrangedor quando apenas vejo que o primeiro apenas sabe apontar o dedo ao primeiro e ainda não utilizou este espaço para algo como uma simples proposta ou ideia.
Desde as eleições ainda não percebi por que razão o PCP não se senta e começa a pensar a cidade e contribuir com algo (acho que já teve tempo para acalmar os resentimentos contra o Sá Fernandes).
Também não percebo por que razão vem para aqui com politiques de baixo nível, sendo este um espaço de cidadania e suprapartidário (ou multipartidário) e, para além disso, tendo um blog próprio (onde só vai quem quer).
Aqui vem-se para ler e aprender sobre cidadania. Para ler e debater assuntos que ultrapassam meras inimizades pessoais de um dos autores. Pelo menos era o que pensava.

João Vicente

joão vicente disse...

correccção ao último post:

"... quando vejo que o primeiro apenas sabe apontar o dedo ao segundo."